Kingdom Under Fire 2, MMORPG/RTS de $78 milhões de dólares, e sua longa jornada para o fracasso

Considerada a produção mais cara da Coreia do Sul em 2017, superando os $78 milhões de dólares, o promissor título que mescla MMORPG com RTS do estúdio coreano Blueside, Kingdom Under Fire 2, um ano após seu re-lançamento ainda não conseguiu deslanchar nem mesmo entre os fãs da franquia e hoje conta com uma agoniante base de jogadores no ocidente.

Atualmente uma média de 15 jogadores simultâneos jogam o título diariamente pela Steam. Apesar das análises dos usuários ligeiramente positivas, a base de jogadores nada expressiva pode ser explicado por um fator, o demorado processo até o lançamento oficial, uma vez que o jogo foi anunciado originalmente em janeiro de 2008 para ser lançado para PC e consoles em 2009. Contudo, em julho de 2009, a Blueside confirmou que a versão para Xbox 360 sairia apenas em 2010, com uma maior ênfase na campanha para um jogador, modo multiplayer online, bem como conteúdo para download, mas um modo MMORTS não foi confirmado.

Em março de 2010 começaram os boatos que o estúdio Blueside estava enfrentando problemas financeiros e funcionários estavam trabalhando sem remuneração. Posteriormente, metade da equipe saiu para montar um novo estúdio. Pouco tempo depois, em uma entrevista representantes da Blueside e Phantagram revelaram que 90 pessoas estavam trabalhando no projeto e que o jogo foi atrasado devido à falta de mão de obra causado pelo desenvolvimento simultâneo das versões para PC, console, bem como inexperiência da equipe na produção de um jogo online, apesar do diretor Lee Sang Yong negar tudo.

O lançamento para o Xbox 360, previsto para outubro de 2010, veio a sair apenas no natal de 2011 devido a restrições impostas aos jogos do Xbox Live pela Microsoft em relação ao faturamento. Neste ano o desenvolvimento do jogo foi considerado pelos desenvolvedores como completo, mas logo após, uma versão para o PlayStation 3 foi anunciada tendo o lançamento marcado para acontecer em 2012.  Em novembro de 2013, a Blueside anunciou que o jogo seria lançado para PC na Coréia, Malásia e Cingapura, e que o título também estava em desenvolvimento para o PlayStation 4, com lançamento previsto para 2014.

Em maio de 2014 a versão beta foi lançada, mas em abril de 2017, o estúdio anunciou que o título seria encerrado. Ressurgindo das cinzas na primavera de 2017 com a publisher russa Innova, o qual teve closed beta anunciado para a região, Kingdom Under Fire II foi novamente encerrado em 2019. Segundo a Blueside a causa foi devido a “novos projetos”. Ano passo, apesar de tudo, a Gameforge, publicadora de títulos icônicos MMORPG, decidiu arriscar e em novembro lançou o game dessa vez também na Steam, esperando um sucesso maior, o que na prática não aconteceu até hoje.

A situação de Kingdom Under Fire 2 é algo tão desastrosa que nem mesmo a Gameforge parece não acreditar mais no título e nem se quer se esforça para mudar este cenário, já que a última vez que a equipe por trás do jogo deu as caras foi em abril deste ano ao anunciar uma atualização que consertou diversos bugs. Ou seja, o fracasso vem desde o incio do desenvolvimento, após diversas decisões mal feitas, vários contra tempos e uma visão muito ambiciosa de uma obra que o  público não se interessou.

Na G-Star de 2013, Sang-Yoon Lee se desculpou pelos atrasos, explicando que o desenvolvimento foi prejudicado pela perda da metade de sua equipe original de 160 pessoas, bem como pelas condições de mercado no Sudeste Asiático, onde os altos requisitos de especificação de computador do jogo significava um mercado limitado para o produto, exigindo trabalho adicional para permitir que o título rodasse um hardware de potência relativamente baixa.

Custando R$ 49,99, com pacotes com recursos adicionais que vão de R$ 49,99 a R$ 379 reais,  em Kingdom Under Fire 2 os jogadores fazem parte da continuação épica do título original em uma experiência hibrida MMORPG/RTS Online, onde devem escolher entre cinco heróis únicos para dominar missões emocionantes à medida que desvendam um enredo inesquecível e treinam um exército poderoso.  O título se destaca pelos gráficos e combates massivos em grande escala com grande teor estratégico.

Apenas um amante dos games e tecnologia.

GAMIWORK
Logo
Enable registration in settings - general